Pegar ou pegado?

O verbo PEGAR é classificado como abundante pelas gramáticas, ou seja, tem duas para o particípio – PEGO e PEGADO. Portanto, o particípio de PEGAR é usado normalmente com os verbos TER e HAVER, como na frase seguinte: “O camisa 20 do Timão, que quase não tinha pegado na bola, foi até o banco e pediu para sair”. Já a forma PEGO é usada com os verbos SER e ESTAR – “Ele foi pego em flagrante”. 

Importante ressaltar que você não vai encontrar unanimidade nessa questão. Nos Manuais de Redação da Folha de São Paulo e do Estado de São Paulo, o uso do PEGO é recomendado com os verbos ser e estar, como abundante. Na gramática do Pasquale, no entanto, ele explicita: “Pegar apresenta apenas o particípio regular: pegado”. Já na gramática do Domingos Cegalla, PEGAR aparece como verbo abundante! 

Com tantas opiniões diferentes, podemos considerar correto o uso da forma PEGO, já que ela aparece em dicionários e em boa parte da mídia, o que significa que seu uso já foi consagrado pela linguagem popular ou informal.

Comentários

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments