Vírgula com “e”

Existe uma lenda que diz que jamais existirá vírgula antes ou depois do E. No entanto, como todas as lendas, tem uma boa dose de ficção nessa afirmação. Muita gente pergunta se pode ter vírgula antes do E, se ela é proibida e outras confusões! Primeiramente, antes de pensarmos na vírgula antes do E, acho importante relembrar que na língua portuguesa existe a ordem direta da escrita (sujeito + verbo + complemento). No entanto, podemos usar a ordem indireta também. Quando isso acontece, as vírgulas aparecem. Vejam o exemplo:

Acordei muito tarde e perdi a aula de dança por conta disso.

Há duas sentenças nessa frase: “Acordei muito tarde” + “perdi a aula de dança por conta disso”. As duas estão na ordem direta. No entanto, o que acontece se colocamos a expressão “por conta disso” fora da ordem (na ordem indireta)? As vírgulas vão ter que dar o ar da graça!

Acordei muito tarde e, por conta disso, perdi a aula de dança.

Ou seja, toda vez que usarmos ordem indireta e surgirem expressões intercaladas na ordem da frase, as vírgulas serão obrigatórias, independente se estiver no meio do caminho um E. 

Outro erro comum é achar que nunca pode haver vírgula antes do E. Ledo engano! Se houver duas frases unidas pelo E e elas tivere, sujeitos diferentes, a vírgula antes do E será obrigatória. Veja o exemplo:

A mulher abandonou o carro e o marido teve que ir resgatar o automóvel no meio da estrada.

Se não usarmos a vírgula antes do E, parece que a mulher abandonou o carro + o marido, informação incorreta segundo a frase indicada. “A mulher” é o sujeito da primeira oração e “o marido” é o sujeito da segunda oração, portanto TEM que colocar vírgula antes do E para não haver confusão. Portanto, a frase correta seria grafada assim:

A mulher abandonou o carro, e o marido teve que ir resgatar o automóvel no meio da estrada.

Comentários

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments